Marcha das Margaridas 2023
Marcha Mundial das Mulheres rumo à Marcha das Margaridas 2023
28 de julho de 2023 ás 17:27:16


Credito : Eduardo Napoli. Acervo CONTAG.

Militantes da Marcha Mundial das Mulheres de todo o Brasil se preparam para participar da 7ª edição da Marcha das Margaridas, que acontecerá em Brasília nos dias 15 e 16 de agosto de 2023, reafirmando: “Margaridas em Marcha pela Reconstrução do Brasil e pelo Bem Viver”.

Reuniões, encontros de formação, lançamentos, ações de arrecadação de recursos e outras atividades já aconteceram em diversos municípios e estados como Alagoas, Ceará, Maranhão, Minas Gerais, Paraná, Pará, Pernambuco, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, São Paulo, Sergipe, além do Distrito Federal.

No dia 21 de junho de 2023 a MMM também esteve presente na apresentação da pauta de reivindicações da Marcha das Margaridas ao governo federal. Sônia Coelho, da executiva da MMM, comenta a entrega do documento: “Passados esses anos duros de golpe e retirada de direitos, as Margaridas apresentam sua pauta para contribuir com a reconstrução do Brasil, que considere as desigualdades que vivem as mulheres do campo, das florestas e das águas na perspectiva feminista de construção da igualdade”.

Saiba mais

A Marcha das Margaridas é uma ação estratégica conduzida e protagonizada por mulheres trabalhadoras rurais do campo, das florestas e das águas com a finalidade de construir visibilidade pública e conquistar reconhecimento social e político. Ela é coordenada pela Confederação Nacional de Trabalhadores Rurais Agricultores e Agricultoras Familiares (CONTAG), suas 27 federações e sindicatos filiados, e se constrói em parceria com outros coletivos e movimentos feministas e de mulheres trabalhadoras, centrais sindicais e organizações internacionais.
A Marcha das Margaridas envolve processos formativos e de debates, ações políticas e de mobilização, de denúncia e reivindicação, enraizadas em cada território e comunidade até chegar às ruas de Brasília, no Distrito Federal, capital do país.

Por que Margaridas?

A Marcha das Margaridas é inspirada na vida e luta de Margarida Maria Alves, sindicalista paraibana da cidade de Alagoa Grande, assassinada em 12 de agosto de 1983, por um matador de aluguel a mando de fazendeiros da região. Margarida foi a primeira mulher a presidir o Sindicato dos Trabalhadores Rurais da cidade nos anos 1970.
Ao longo de 12 anos à frente da organização, moveu mais de 600 ações trabalhistas em defesa dos direitos dos trabalhadores do campo e contra latifundiários da região. À época, as principais pautas reivindicadas pelo sindicato eram: registro em carteira de trabalho, jornada diária de trabalho de oito horas, direito ao 13º salário e às férias.
Segundo o Ministério Público, o assassinato de Margarida Maria Alves envolveu fazendeiros, usineiros, pistoleiros e um policial militar, mas ninguém foi condenado.
Persistente e destemida, Margarida afirmou: “É melhor morrer na luta do que morrer de fome”. Margarida segue viva e inspirando centenas de milhares de pessoas na luta pela conquista e defesa de seus direitos.

 

Relação da Marcha das Margaridas com a MMM

A primeira edição da Marcha das Margaridas aconteceu no ano de 2000 e foi o momento nacional mais importante da primeira ação internacional da Marcha Mundial das Mulheres, que saíram às ruas por “2000 razões para marchar contra a pobreza e a violência contra as mulheres”. As edições seguintes da Marcha das Margaridas aconteceram nos anos de 2003, 2007, 2011, 2015 e 2019 e obtiveram avanços para as mulheres rurais como titulação conjunta de terras, programa de documentação, acesso ao crédito, à educação no campo e à aposentadoria aos 55 anos, entre outras vitórias. Muitas delas se perderam com o golpe de 2016 contra Dilma Rousseff e a chegada de Jair Bolsonaro ao poder.
Com a derrota de Bolsonaro e a eleição de Lula presidente, a 7ª Marcha das Margaridas acontecerá nos dias 15 e 16 de agosto de 2023, em Brasília, no Distrito Federal, sob o slogan: “Margaridas em Marcha pela Reconstrução do Brasil e pelo Bem Viver”.
Nesta sétima edição, em 2023, a programação inclui oficinas, seminários e plenárias no dia 15 de agosto e uma grande marcha na manhã do dia 16 de agosto.

Eixos de 2023

Em todas as edições as Margaridas pautam seus eixos temáticos que orientam os processos formativos e debates políticos importantes para a vidas das Margaridas e de todo Brasil. Neste ano os eixos são:
– Eixo 01: Democracia participativa e soberania popular
– Eixo 02: Poder e participação política das mulheres
– Eixo 03: Vida livre de todas as formas de violência, sem racismo e sem sexismo
– Eixo 04: Autonomia e liberdade das mulheres sobre o seu corpo e a sua sexualidade
– Eixo 05: Proteção da natureza com justiça ambiental e climática
– Eixo 06: Autodeterminação dos povos, com soberania alimentar, hídrica e energética
– Eixo 07: Democratização do acesso à terra e garantia dos direitos territoriais e dos maretórios
– Eixo 08: Direito de acesso e uso social da biodiversidade e defesa dos bens comuns
– Eixo 09: Vida saudável com agroecologia e segurança alimentar e nutricional
– Eixo 10: Autonomia econômica, inclusão produtiva, trabalho e renda
– Eixo 11: Saúde, previdência e assistência social pública, universal e solidária
– Eixo 12: Educação pública não sexista e antirracista e direito à educação do e no campo
– Eixo 13: Universalização do acesso à internet e inclusão digital.

Texto elaborado pela redação da Marcha Mundial de Mulheres.

Leia o texto na fonte: https://www.marchamundialdasmulheres.org.br/rumo-a-marcha-das-margaridas-2023/

Outras Notícias

Mais Notícias