FESTIVAL NACIONAL DA JUVENTUDE RURAL
Segundo dia do Festival promoveu reflexões importantes e momentos ímpares para a juventude rural
26 de abril de 2023 ás 22:00:30


Foto : Rafael Fernandes

O segundo dia do 4º Festival foi recheado de atividades interessantes para os cinco mil jovens que estão no Pavilhão do Parque da Cidade, em Brasília, nessa semana. Teve de tudo: Painéis Temáticos, Rodas de Conversa, Oficinas e Exposições, tudo realizado nos ambientes que a CONTAG preparou com muito carinho dentro do Festival, como o Espaço Educar e Cuidar da Saúde, o Espaço Jovens Margaridas, o Espaço Paulo Freire e o Espaço Inovar Juventude Rural. E não acabou por aí, ainda ocorreram atividades paralelas a essas.  

Nas rodas de conversa, por exemplo, foram tratados temas como Agroecologia, Reforma Agrária, Comitês Populares de Lutas, Saúde mental, inclusive com o recorte da acessibilidade e ativismo LGBTQIA+, e participação de mulheres jovens na Marcha das Margaridas. 

As oficinas também foram momentos importantes onde a juventude pôde dialogar com especialistas sobre questões como Sexualidade com dois diferentes recortes: sexualidade feminina e anticonceptivos, e novas masculinidades. E também colocar a mão na massa, produzindo materiais para a caminhada que fecha o festival, na oficina Arte é Resistência, e aprendendo a batucar na oficina de Batucada, para animar ainda mais essa marcha.

Os painéis temáticos buscaram levantar temas para a juventude refletir, como o direito de ser e existir no campo, que teve como palestrante o deputado Pastor Henrique Vieira, a participação política da juventude rural, apresentado pelo deputado federal Carlos Veras (PT-PE) e outros jovens vereadores, e o painel sobre resiliência às mudanças climáticas, que teve a presença e apresentação da Ministra do Meio Ambiente, Marina Silva. 

As exposições dialogadas também ofereceram momentos únicos, onde os participantes puderam trocar informações sobre cooperativismo, mercados institucionais, Cadastro Nacional da Agricultura Familiar (CAF), e como todos esses temas que conversam diretamente com a juventude e suas capacidades de prosperarem no campo.

Um espaço muito requisitado foi o de práticas integrativas de saúde. Acupuntura, reiki, fitoterapia e aromaterapia foram algumas das práticas trabalhadas nesse estado, e quem passou por lá pôde desfrutar um pouco dos efeitos terapêuticos delas.

 

Uma das principais atividades paralelas ocorridas no segundo dia foi a Conferência Nacional Livre em Saúde da Juventude do Campo, da Floresta e das Águas, que foi uma atividade desenvolvida pela Secretaria de Políticas Sociais da CONTAG, e que ajudou a eleger delegados e delegadas para a 17ª Conferência Nacional de Saúde.

A Sessão Solene na Câmara dos Deputados, ocorrida pela manhã, no Plenário da Câmara dos Deputados, também teve um destaque importante na programação.

 

Juventude rural enche o plenário da Câmara dos Deputados em Sessão Solene

Mais de 250 jovens, participantes do 4º Festival Nacional da Juventude Rural, foram ao Congresso Nacional na manhã desta quarta-feira, 26, para acompanharem a Sessão Solene em homenagem à Juventude Rural. A Sessão aconteceu no plenário da Câmara dos Deputados proposta pelo deputado Carlos Veras (PT-PE), que é agricultor familiar e já foi membro da Comissão Nacional de Jovens da CONTAG.

A juventude ocupou quase todos os lugares do plenário, e ouviu atenta as mensagens de apoio e incentivo de diversos deputados e deputadas presentes no momento. Carlos Veras foi quem abriu os discursos, defendendo amplamente as demandas que a juventude apresenta em sua pauta para o governo e Parlamento. “A juventude precisa de terra, energia para escoar a produção, cultura, saúde, educação no campo, o conjunto de ações para continuar vivendo com qualidade. Hoje viver no campo não pode ser como nossos pais colocaram “ou estuda, ou vai morrer na roça”, como se fosse um castigo. A realidade da juventude rural mudou”, disse o deputado.

Aristides Santos, presidente da CONTAG, também foi convidado a discursar na tribuna, e deixou o pedido aos parlamentares da Casa: “Nosso pedido aqui é que os deputados que estão aqui continuem conversando para resolver a pauta da juventude. Tem muitos temas que precisam avançar aqui. É importante entender que milhares de jovens saíram do campo nos últimos 6 anos por falta de política publica. Temos que estancar essa saída para que a juventude continue no campo”, disse.

As companheiras da CUT, Cristiana Paiva, e da CTB, Beatriz Calheiros, também discursaram, destacando a importância de ter a representatividade da juventude nos espaços políticos como a Câmara dos Deputados, principalmente das mulheres.

Um dos pontos altos da sessão foi a declamação de um poema pelo jovem Kauã Silva, do município Tabira, em Pernambuco, que falou sobre os desafios e alegrias do trabalho do jovem no campo em forma de poesia. E a sessão foi encerrada com o aguardado discurso da secretária de Jovens da CONTAG e coordenadora do 4º Festival da Juventude Rural, Mônica Bufon, que fez um convite prático aos deputados e deputadas da Câmara: “Que esse espaço que estamos ocupando e as mensagens que deixamos não sejam só de sensibilização dentro do coração dos deputados, mas seja também na caneta para assinar os projetos de lei que a juventude rural precisa para continuar no campo com dignidade e prosperidade.

Este segundo dia também ficou marcado pela entrega de duas Cartas pela Juventude Rural. A primeira foi direcionada à Diretoria da CONTAG e das Federações focadas nas demandas da organização sindical da juventude rural. A segunda, a Carta Política, visou apresentar os anseios dos/as jovens para o poder público e para a sociedade. A noite foi marcada pelo Desfile da Juventude Rural e mais apresentações culturais.

O encerramento do 4° Festival Nacional da Juventude Rural acontecerá nesta quinta-feira (27) com a caminhada do Pavilhão em direção à Esplanada dos Ministérios, onde será realizado o ato político. A expectativa é que o governo apresente, neste ato, as medidas tão aguardadas pela juventude rural.

Fonte: Comunicação do Festival – Gabriella Ávila. Edição: Verônica Tozzi


Outras Notícias

Mais Notícias